O que faz mal ao homem nunca é o consumo de vinho, e sim, o abuso das bebidas alcoólicas. Um vinho de boa qualidade e consumido em quantidades moderadas, só pode fazer bem ao organismo.

O vinho é um alimento, estimula a energia física, abrindo o apetite, ajudando a digestão e facilitando a atividade da mucosa gástrica.

O vinho é um excitante neuro muscular, auxilia as faculdades intelectuais, combate à tristeza e o medo.
Existe um velho adágio que diz: "O homem faz o vinho e o vinho faz o homem", mas que foi traduzido para o dicionário das ciências médicas com esta definição: "O vinho excita o cérebro, alegra a alma e refaz o organismo".

O vinho dá ao homem vivacidade, generosidade e comunicabilidade, mantendo o equilíbrio justo entre a razão e o sentimento, permitindo obter-se a centelha que acende a chama do julgamento e da vontade.

O La Forchetta, La Terrina, Fiori d'Itália e IL Papavero empenharam em contar resumidamente a bibliografia de cada tipo de vinho, além de conservá-los com respeito e carinho, pois o mesmo proporciona momentos inesquecíveis.

Aldo Teixeira